Como lidar com alcoólatra

Como lidar com alcoólatra


Nem sempre é fácil perceber quando o consumo do álcool cruzou a linha de uso moderado e social para um uso nocivo ou dependência. Se uma pessoa passa a consumir álcool para lidar com as dificuldades ou para evitar sentir-se mal, este encontra-se em território de potencial perigo.

Em nossa cultura, tomar uma dose é uma prática associada a alguma comemoração, a momentos bons ou divertidos, e por isso, atrai em especial os adolescentes. Com o tempo, tudo passa a ser motivo para beber, seja por bons e maus momentos, festas de reencontro e de despedidas. O alcoólatra julga usar o álcool para resolver seus problemas, sem se dar conta de que multiplica seus desconfortos físicos e emocionais e passa a depender do álcool para tudo, até para esquecer que é dependente.

A negação é um dos maiores obstáculos para a obtenção de ajuda contra o alcoolismo. O desejo de beber é tão forte que a mente encontra muitas maneiras de racionalizar o consumo, mesmo quando as consequências são óbvias. A negação pode agravar ainda mais os problemas relacionados com o álcool, trabalho, família etc. Alcoolistas são mais propensos a pedir divórcio, se envolver em violência doméstica, perder o emprego e deteriorar sua condição financeira.

 

Como ajudar pessoas que enfrentam o alcoolismo

É importante entender primeiramente que o alcoolismo é um vício, uma dependência causada pelo álcool e considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma doença.

A dependência se inicia normalmente com a pessoa bebendo socialmente, mas passando um tempo depois, a pessoa percebe que beber virou uma rotina em sua vida, e isso começa a atrapalhar seu dia a dia.

Algumas pessoas começam a beber por conta dos problemas da vida, do trabalho ou com relacionamentos.

Antes de pensar em ajudar uma pessoa a enfrentar o alcoolismo, é importante ter certeza que a pessoa tem mesmo um problema com o álcool.

Quando a pessoa se encontra nessa situação, o apoio da família e amigos é essencial para superação. E como ajudar?

  • Permita que a pessoa sinta as consequências

Se a pessoa bebeu muito e não conseguiu acordar para ir trabalhar no dia seguinte, por exemplo, deixe que ela perca um dia de trabalho. Deixe que ela seja responsabilizada pelos seus atos e perceba que beber demais tem consequências e resultados ruins para a sua vida.

  • No início, não force o tratamento

Quando a pessoa estiver no início do vício, não adianta forçar a pessoa a se tratar ou se internar em uma clínica de recuperação contra a sua vontade. Tudo o que você deve fazer é oferecer ajuda, e sugerir que o tratamento pode ser benéfico, e deixar que ela decida se vai seguir sua sugestão ou não. Você deve falar firme e forte, mas não pressione demais.

  • Envolva mais pessoas

Se a família e os amigos mais próximos estiverem dispostos a ajudar, peça que ajudem, dando conselhos, para que a pessoa reconheça o vício e inicie um tratamento. Quanto mais pessoas falarem, mais crédito terão suas palavras. Porém oriente-os que é necessário saber conversar sem julgar, sem criticar, e em lugar e momentos certos. Consultar um psicólogo especializado em vícios pode ser uma boa também para orientar qual é a melhor abordagem a ser usada.

  • Não se deixe levar por comportamentos manipuladores

Saiba até qual ponto você deve se envolver. Não deixe que afete a sua vida própria, se necessário, reavalie suas ações e na medida do possível se afaste para encontrar força e equilíbrio suficientes para ajudar novamente. Essa atitude é difícil quando o dependente é uma pessoa bem próxima, mas é um comportamento necessário para que você possa ser mais útil para quem está doente. Se você começar a se sentir estressado, irritado ou deprimido procure ajuda psicológica, pois você não conseguirá ajudar ninguém se não estiver bem consigo mesmo.

 

Efeitos do álcool no organismo

Em contato com a corrente sanguínea, o álcool mexe diretamente no cérebro, fazendo com que a pessoa sinta euforia e alegria, e um conforto para esquecer os problemas.

Mas chega um momento que a bebida é tanta, que a pessoa não consegue mais conviver com os amigos, e seu corpo começa a desenvolver uma tolerância ao álcool.

Na maioria das vezes, o dependente que precisa de ajuda é resistente a ajuda psicológica e isso é ruim pois o psicólogo pode ouvir e instruir o dependente e dependendo como for, só com a terapia ele pode voltar a ter um convívio normal longe da bebida.

O Instituto Abraão oferece tratamentos singulares às características de cada paciente dependente do álcool. Por esse motivo, foi desenvolvida uma metodologia de terapia que envolve atividades, dinâmicas, reuniões, atendimentos individuais e em grupo. Além dos cuidados com a saúde do paciente, o compromisso e a dedicação da equipe profissional é um fator fundamental nos resultados do tratamento, juntamente com uma infraestrutura adequada com instalações confortáveis e seguras.

É importante lembrar que a família exerce papel fundamental nessa batalha, visto que os melhores resultados são obtidos com o apoio e compreensão dos familiares. Diante disso, oferecemos todo suporte necessário a cada família.

Blog

O que é o tratamento para alcoólatras e como internar

O que é o tratamento para alcoólatras e como internar

Consumir álcool em excesso é um problema que afeta pessoas de várias idades, gênero e diferentes classes sociais.

Entenda como funciona a internação para alcoólatras

Entenda como funciona a internação para alcoólatras

Cada vez mais aumentam as buscas por clínicas para alcoólatras, o que mostra que a dependência química é uma realidade bem preocupante.

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

A dependência química é um problema grave de saúde, e afeta não só o dependente químico, mas também seus familiares

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

Também conhecida por síndrome da abstinência alcoólica (SAA), é composta por diferentes sintomas que se apresentam em pacientes que são dependen