Internação involuntária: como proceder?


Internação involuntária: como proceder?

A dependência química é uma doença devastadora capaz de prejudicar enormemente a vida de uma pessoa em pouco tempo.

Conforme se envolve cada vez mais com a droga, o usuário começa a minar suas relações familiares e sociais, a atrapalhar seu trabalho e estudos e a prejudicar a si mesmo e as pessoas à sua volta, deixando de reconhecer até mesmo que existe um problema.

Ao chegar a este ponto, o dependente já não acha que precisa de ajuda ou de tratamento, criando um empecilho para a sua recuperação e deixando a família diante de uma difícil decisão: optar ou não pela internação involuntária?

Esta é uma medida extrema, que só deve ser tomada em último caso, mas que é necessária para garantir que o ente tão querido tenha acesso ao tratamento necessário e possa recuperar tudo o que perdeu para as drogas.

O grande problema é que há poucas informações disponíveis sobre a internação involuntária, o que dificulta a vida das famílias que optam por essa medida para proteger seu ente perdido.

Nós do Instituto Abraão percebemos este problema e separamos abaixo tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Acompanhe!

Como proceder para realizar uma internação involuntária?

Primeiramente, é preciso frisar que a internação involuntária é uma medida que só pode ser tomada quando todas as outras alternativas de abordagem e de tratamento do dependente já foram esgotadas.

Nos casos em que isso já aconteceu, a família pode requerer uma internação involuntária escrevendo uma carta com o pedido de internação e os seus motivos. Esta deve ser assinada por um familiar que tenha ligação consanguínea com o dependente e conter o parecer de um médico psiquiatra.

O pedido pode ser entregue a uma clínica particular, como o Instituto Abraão, ou unidade do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e os responsáveis técnicos pelo estabelecimento encarregado de fazer a internação devem informar ao Ministério Público dentro do prazo máximo de 72 horas.

A partir de então o estabelecimento pode realizar a remoção do paciente e dar início ao tratamento, que deve ser o mais humano e realizar as técnicas menos invasivas possíveis, garantindo que o paciente tenha acesso ao mundo exterior sempre que quiser.

Depois que o dependente recuperar o seu discernimento crítico sobre a realidade e sua situação, outras modalidades de tratamento podem ser adotadas.

Como lidar com o dependente que não quer se tratar?

Quando a internação involuntária passa a ser necessária, o maior empecilho para o prosseguimento do tratamento é o próprio dependente. Na maioria das vezes, conseguir retirá-lo das drogas e levá-lo até o estabelecimento onde será tratado é uma tarefa quase impossível.

E, por isso, no início da busca por uma internação involuntária, o indicado é que o dependente não saiba o que está acontecendo, pois isso pode desencadear comportamentos agressivos e até mesmo fugas.

As clínicas que trabalham com a internação involuntária, como o próprio Instituto Abraão, contam com equipes de profissionais preparados para lidar com essa situação e garantir que o dependente tenha acesso ao tratamento e saiba o que está acontecendo no momento certo.

No começo, é difícil, mas com o tempo o paciente começa a entender que realmente precisa se tratar e que a família fez bem ao optar por uma internação involuntária.

Se você ainda tem alguma dúvida sobre a internação involuntária ou quer entender melhor como ela funciona e como proceder para ajudar um ente querido, entre em contato com o Instituto Abraão. Teremos prazer em atendê-lo.

Blog

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

A dependência química é um problema grave de saúde, e afeta não só o dependente químico, mas também seus familiares

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

Também conhecida por síndrome da abstinência alcoólica (SAA), é composta por diferentes sintomas que se apresentam em pacientes que são dependen

Como conviver com drogado e procurar ajuda

Como conviver com drogado e procurar ajuda

A maioria das pessoas que são usuárias de drogas não reconhecem que precisam de ajuda e que não conseguem se controlar

Quando uma pessoa pode ser considerada alcoólatra

Quando uma pessoa pode ser considerada alcoólatra

As bebidas alcoólicas estão presentes diariamente na vida do brasileiro, seja por questão cultural ou social.