Clínica Internação Involuntária Psiquiátrica

Clínica Internação Involuntária Psiquiátrica


A internação involuntária psiquiátrica deve ser aplicada nos casos em que o dependente perdeu a liberdade de escolha. É a decisão de levar o dependente químico até uma clinica de reabilitação sem o seu consentimento. Este é o ponto central de qualquer transtorno psíquico. A incapacidade de um indivíduo em escolher alguma coisa diferente do que faz atualmente, pois os familiares percebem que o dependente perdeu a capacidade de discernimento e ve a própria autonomia prejudicada. O dependente não consegue mais escolher entre o consumo e a abstinência. A vontade de usar é sempre maior e se sobrepõe a coisas que antes eram importantes como: estudo, emprego, convívio com familiares e parentes, respeito às normas, etc. Desse modo, não é tão simples assim ouvir da pessoa "não vou me tratar" e nada mais acontece. É chegada a hora de refletir e buscar auxílio profissional, para reverter esta situação, antes que seja tarde demais.

Geralmente a decisão do tratamento através da internação involuntária é tomada pelos familiares e/ou responsáveis pelo dependente, a fim de conscientizá-lo da necessidade de desintoxicação. Como ela acontece com a falta de consentimento, é comum que a família se sinta insegura ao tomar essa decisão, ou até a evitem para não perder a confiança do individuo. Forçar alguém ao tratamento significa não compactuar mais com os comportamentos gerados pelo uso de drogas. Então, pode-se praticar um ato de amor (sim, o tratamento com internação é um ato de amor) que, somente pessoas que realmente amam o dependente químico são capazes de fazer.

Na maioria das vezes, embora não seja uma regra, o dependente já passou por tentativas de tratamento em pronto socorros, mas sem sucesso. Os sinais são claros: abandono de cuidados pessoais, oscilações de peso, agressividade e muita mentira são alguns dos traços que devem ser observados.

É preciso enxergar a internação involuntária a partir de outros olhos, e perceber quais são os benefícios:

 - Sem possibilidade de consumo: geralmente a internação ocorre em um momento de crise, e o primeiro benefício é estar sem a droga. A desintoxicação é necessária e com ela fica mais fácil que o dependente tenha noção de seu atual estado e colabore com o tratamento.

 - Melhora da saúde: livre das drogas o organismo se regenera e a saúde do paciente fica melhor. É tendência também que o paciente comece a se preocupar com a própria saúde, incentivando até a pratica de esportes.

 - Aceitação: nessa fase a pessoa começa a aceitar que tem uma dependência e que precisa se tratar. O apoio psicológico é primordial, pois a pessoa fica mais propensa a se abrir e a compartilhar seus medos e desafios.

 - Recomeço: mesmo que o paciente tenha ido para a clinica contra vontade, agora com todo tratamento, ele começa a ter noção de um recomeço de vida, de voltar para a sociedade.

A recaída sempre é uma opção, mas o paciente já vai ter uma noção de todo o caminho que percorreu até aqui, vai conseguir definir prioridades e tomar mais cuidado para fugir de situações que o coloque diante do uso da droga novamente.

O Instituto Abraão oferece diversas possibilidades de tratamento, inclusive a internação involuntária psiquiátrica, prevista em lei. A Internação Involuntária é amparada pelo Decreto 891/38 e, pela Lei 10.216, de 6 de abril de 2001, regulamentada pela portaria federal nº 2.391/2002 e de acordo com RDC N-101 da ANVISA.

Entre as disposições a respeito da internação involuntária, ressaltamos os seguintes itens:

 - É realizada após a formalização da decisão por parte do médico responsável

 - É indicada depois de avaliação sobre a droga utilizada, o padrão de uso e quando fica clara a impossibilidade de recorrer a outras alternativas terapêuticas

 - Pode ser interrompida a qualquer momento pelo familiar responsável pelo pedido de internação ou representante legal

 - Devem ser informadas ao Ministério Público ou à Defensoria Pública todas as internações e altas

A internação sem o consentimento do usuário e a pedido de um terceiro é uma das soluções para quando o dependente químico está colocando sua própria vida ou a vida de outras pessoas em risco e dificuldades e, mesmo assim, é incapaz de tomar e manter uma atitude coerente para sua recuperação.

O objetivo da internação involuntária é que o paciente assuma um estado de consciência que o permita entender seus problemas e quais são as consequências do seu vício. É sobre como é possível identificar sua conduta que precisa ser alterada, pela capacidade de fazer tão mal a saúde.

A terapia em grupo representa um espaço seguro, onde os dependentes conseguem compartilhar suas experiências, falando sobre o que estão passando, pelo que passaram e quais são suas perspectivas para o futuro. Tudo isso sem julgamentos.

Blog

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

A dependência química é um problema grave de saúde, e afeta não só o dependente químico, mas também seus familiares

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

Também conhecida por síndrome da abstinência alcoólica (SAA), é composta por diferentes sintomas que se apresentam em pacientes que são dependen

Como conviver com drogado e procurar ajuda

Como conviver com drogado e procurar ajuda

A maioria das pessoas que são usuárias de drogas não reconhecem que precisam de ajuda e que não conseguem se controlar

Quando uma pessoa pode ser considerada alcoólatra

Quando uma pessoa pode ser considerada alcoólatra

As bebidas alcoólicas estão presentes diariamente na vida do brasileiro, seja por questão cultural ou social.