Como conviver com drogado e procurar ajuda


Como conviver com drogado e procurar ajuda

A maioria das pessoas que são usuárias de drogas não reconhecem que precisam de ajuda e que não conseguem se controlar.

Nesse caso a família e amigos devem tentar estabelecer estratégias para ajudar o dependente químico e fazer com que ele reconheça que precisa de tratamento.

Uma relação de confiança e uma conversa franca são essenciais para manter contato com um dependente químico, que costuma a afastar as pessoas que não concordam com o jeito que ele vive.

Evitar as críticas é fundamental, oferecendo um diálogo aberto e franco, com o objetivo de fazer com que o dependente entenda quais são os impactos que a droga está causando na vida dele e que a ajuda é necessária.

Para isso é preciso se preparar, conhecer bem sobre o vicio dele e também as reações. Quanto mais conhecimento você demonstrar, mais o dependente se sentirá confiante em se abrir com você.

Além disso deixe claro que na hora que o dependente químico resolver se tratar, você estará lá para apoiá-lo.

Especialmente se tratar de um familiar muito próximo, tenha mais cuidado com o modo de falar. Palavras negativas e xingamentos não vão ajudar e a pessoa acabará se afastando de você, ao invés de te procurar quando precisar de ajuda.

Logico que, você não é obrigado a dar dinheiro para sustentar o vicio do dependente por exemplo. Mesmo assim evite brigas e conflitos e tente trazê-lo mais próximo possível de você.

 

Crie uma estratégia de aproximação

Em muitos casos, quando se descobre que a pessoa é dependente, a primeira atitude é querer assumir o controle, impondo castigos e fazendo comparações, com outros parentes que não são dependentes. Porém essa reação só fará com que a pessoa se afaste mais.

Pressionar o dependente não é o melhor caminho, antes é preciso uma estratégia de aproximação, para que ele saiba que pode contar com você, quando ver que precisa de um tratamento.

Claro que, limites devem ser estabelecidos. Principalmente se a pessoa sempre falar com você sobre o efeito de drogas, deixe claro que você não compactua com essa situação.

É importante também que ele ainda tenha responsabilidades, como pagar contas, fazer tarefas domésticas.

Não realize as tarefas nem pague as contas dele, deixe que ele sofra as consequências, para ver que, cada vez mais que está se afundando.

 

Busque ajuda médica

Quando o dependente te procurar, necessitando de ajuda não deixe de procurar um médico.

Sozinho você não vai conseguir ajudá-lo, ele precisa ser medicado e passar pelo período de abstinência para começar o tratamento.

O médico especializado poderá propor o uso de medicamentos e até encaminhá-lo a uma clínica de recuperação.

Esse tratamento será feito por equipe multidisciplinar que saberá como agir no caso dele, mesmo que cada pessoa tenha

Para garantir que o dependente se sentirá confortável, ofereça companhia para ir as consultas e até na terapia, para que ele não se sinta sozinho. É essencial que ele saiba do apoio que possui, pois o processo de recuperação pode ser demorado.

O Instituto Abraão oferece todo apoio nessa fase e conta com uma equipe especializada para te ajudar. Entre em contato conosco!

Blog

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

Como funciona um programa especializado na recuperação da dependência química

A dependência química é um problema grave de saúde, e afeta não só o dependente químico, mas também seus familiares

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

O que é abstinência alcoólica e qual o tratamento?

Também conhecida por síndrome da abstinência alcoólica (SAA), é composta por diferentes sintomas que se apresentam em pacientes que são dependen

Como conviver com drogado e procurar ajuda

Como conviver com drogado e procurar ajuda

A maioria das pessoas que são usuárias de drogas não reconhecem que precisam de ajuda e que não conseguem se controlar

Quando uma pessoa pode ser considerada alcoólatra

Quando uma pessoa pode ser considerada alcoólatra

As bebidas alcoólicas estão presentes diariamente na vida do brasileiro, seja por questão cultural ou social.